Regina
Blog Somos Maré

"A educação precisa mudar. Enquanto os estudantes forem cobrados a memorizar para o vestibular, a aprendizagem é reducionista.
Os aprendizes merecem mais." Regina Pundek

Registro da professora de literarte

por kidsadm - 17 novembro, 2020

Hoje a li  é AS FANTÁSTICAS AVENTURAS DA VOVÓ MODERNA, do Leo Cunha e Marta Lagarta. Trata-se de uma narrativa cheia de rimas e bem posicionada temporalmente, pois a vovó é realmente muito moderna e atual. 

Na tela estavam as crianças que não têm ainda comparecido à escola presencialmente. 

Enquanto esperávamos a entrada de todos, o assunto eram os machucados que um a um eles iam mostrando até com certa alegria.  Eu fui entendendo que estavam contentes mesmo é porque tinham andado de bicicleta, de patinete, patins ou mesmo correndo pelos quintais.

Eu ia confirmando com um que bacana, você foi lá fora! e outra mãozinha se levantava para mostrar também seus ralados e roxinhos. 

Uma menininha então falou:  quem brinca se machuca, né Rê?

Eu disse que as crianças precisam se machucar para aprender como cair, como não cair, como evitar cair. Quem só fica dentro de casa não aprende e não aquece o coração ao sol, no ar limpinho das árvores e os olhos nas cores bonitas da natureza.  Que eles precisam brincar no “ar livre”.

– Mas quem sabe o que significa AR LIVRE?

– o ar do vento! 

– o ar das florestas!

– o ar puro!

– e, por que chamamos de livre? -indaguei

– ah, porque não está dentro das paredes preso.

– nós estamos presos dentro das paredes?

– hum

– hum

– eu acho que a gente está sim!  ainda mais agora na quarentena

– aqui todos têm quintal? – eu questionei

as mãozinhas de todas as telas se ergueram e eu comemorei com eles:

– que delícia, aqui todo mundo tem o ar livre lá no seu quintal! o ar que eu chamo de livre é o ar sem telhado, sem paredes! vocês precisam brincar lá todos os dias que não chove,  combinado?

Depois de eu ler todo o livro, as crianças precisam muita paciência para mostrar e aguardar a vez dos amigos mostrarem os registros feitos durante a contação.  Alguns desenham outros escrevem palavras soltas e um deles gosta mesmo é de fazer um pequeno resumo,  que ao ler costuma me emocionar, pois resume o momento e não a história. Hoje, especialmente ele escreveu sobre os machucados e sobre o ar livre. Queria que tivesse fotografado o texto e me enviado, mas ele não costuma fazer isso. 

Nesse final de conversa hoje caiu a conexão destas duas irmãzinhas. Então, eu enviei um vídeo para sua casa dizendo que sabia que elas queriam me mostrar seus desenhos, que me mandassem vídeos para eu apreciar.  Apreciei!

E, foi assim.

Regina Pundek

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a Maré

Mandala

Por uma educação que contribua para a formação de sujeitos pacíficos, amorosos, autônomos, respeitosos, empáticos, atuantes, pensantes, batalhadores, corajosos, lúcidos e decididos. Capazes de atuar no mundo de maneira crítica e sensível.

Ler mais...

Siga-nos